quinta-feira, 29 de junho de 2017

Dia do Orgulho LGBTQ+ 2017

Eu tinha decidido me abster de textões da internet (e eu não sei o quão longo será esse), mas hoje não vai dar. Tantos amigos que postaram suas histórias e os motivos pelos quais se orgulham no dia de hoje que eu tive que compartilhar dessa data, também.

Hoje, 28 de junho, é o dia internacional do orgulho LGBTQ+.

Hoje é o dia em que toda a comunidade se mobiliza e se orgulha das conquistas conseguidas até aqui, sem esquecer que a luta ainda é BEM LONGA até conseguirmos todos os direitos iguais pelos quais nós lutamos. Sim, nós. Hoje, pela primeira vez, me incluo abertamente nessa sigla. Pela primeira vez assumo, abertamente, a minha bissexualidade - e vocês não sabem o misto de medo, insegurança e ansiedade que percorre o meu corpo ao escrever esse texto.

Apesar de, muitas vezes, sermos esquecidos, nós estamos aqui. O B está ali. E nós não somos "meio héteros" ou "meio homo". Somos inteiros e temos certeza do que somos. Não é curiosidade, não é experimentação, não é confusão mental. É orientação sexual. E não estamos aqui para realizar o fetiche de ninguém.

Estamos aqui para amar, como todos vocês. Estamos aqui defendendo que TODA FORMA de amor é justa. Estamos aqui vivenciando as diferentes formas de conexões entre pessoas. Porque é isso. Não gostamos de um gênero. Nós gostamos de pessoas. É claro que, assim como todo mundo cada um de nós tem uma preferência - seja por caras com barba ou mulheres com cabelos mais curtos -, mas não passam de preferências individuais. E não, nós NÃO estamos dando em cima de todo mundo o tempo todo e "o que cair na rede é peixe", como muitos dizem por aí.

A gente tem amigos os quais não beijaria nunca. A gente tem crush em colega hétero, acontece. Mas isso não quer dizer que a gente vai fazer nada, só esperar passar.

Enfim, a gente está aqui. A gente existe. E tudo o que a gente quer é parar de ouvir d@s noss@s companheir@s que "você não tem outra amiga bi pra brincar com a gente" ou, de alguém que namora que "estamos procurando uma menina bi pra sair com a gente". Sério. Parem de fetichizar a nossa existência. Parem de achar que só porque a gente é bi a gente vai pegar todo mundo que vê pela frente. Parem de pensar que ser bi é indecisão ou, pior, é gay/lésbica que não saiu do armário. Apenas parem.

Nós estamos aqui e tudo o que queremos é aceitação. Aceitação de ser quem nós somos e de amar sem temer. Aceitação pelas nossas famílias, pelos nossos amigos, pelos nossos companheiros (ou companheiras), aceitação pela sociedade. Queremos não ser discriminados como "grupo de risco" para DSTs, queremos que a nossa imagem pare de ser relacionada à promiscuidade. Queremos que nos vejam pelas pessoas reais que somos. Pessoas que sentem, se apaixonam, namoram, se casam.

Eu sei que, como bi, eu tenho o privilégio de, ao me relacionar com um homem, ser vista como hetero em uma sociedade ALTAMENTE homofóbica e não tenho medo de sair de mãos dadas com um namorado na rua. - e isso ainda me protege de ser assediada, porque afinal, tenho um homem ao meu lado. Mas, ao mesmo tempo, ao me relacionar com uma mulher, estou sujeita a todo o preconceito que é destilado às lésbicas, tenho medo de ser atacada apenas por estar com uma pessoa de quem eu gosto, tenho medo de estupros corretivos a cada vez que escuto que "isso aí é falta de rola" ou "isso é porque foi mal comida". Não. Chega. Não dá mais pra viver em uma sociedade que não aceita o amor, livre de rótulos e de gêneros.

Hoje é o dia de celebrar que muito já melhorou, sim. Mas é o dia de lembrar que ainda temos um caminho muito duro pela frente. Feliz dia do orgulho LGBTQ+, amigos. Vamos, juntos, construir um mundo em que nossos filhos não tenham medo de amar.

E eu só queria lembrar a todos que "as gay, as bi, as trans e as sapatão tão tudo organizando pra fazer revolução"

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Cronograma Capilar - Um pequeno guia

Bom dia! 

Hoje vamos falar sobre um assunto que, literalmente, faz a cabeça de todos: C-A-B-E-L-O-S-! Vou explicar um pouco aqui sobre um método de cuidados com as madeixas chamado Cronograma Capilar (ou CC, como vemos nos grupos de cabelo por aí). O cronograma consiste numa rotina de cuidados baseada em três etapas: Hidratação, Nutrição e Reconstrução. Sabemos que o cabelo é um tecido morto, porém ele melhora de acordo com os cuidados que aplicamos sobre eles.




Essa etapa consiste em repor a água nos fios. Com todas as agressões do dia a dia (como secador, chapinha, vento, etc) o nosso fio perde água e fica com aquele aspecto ressecado que dá vontade de raspar a cabeleira. Normalmente os cosméticos hidratantes são aqueles que possuem em sua composição glicerina, aloe vera (babosa), pantenol (aquele ativo do nosso querido Bepantol), vitaminas, extratos de frutas e de plantas, como jaborandi.

Ao hidratar os fios percebemos que eles ficam mais maleáveis, macios e suaves.

Nesta etapa vamos "nutrir" os fios, repondo lipídios na fibra capilar. Fazemos isso com manteigas, óleos e ceras. Observe que os produtos que doam nutrientes à fibra capilar possuem na sua fórmula abundância em óleos, como óleo de argan, coco, babaçu, rícino (mamona), abacate, cupuaçu, etc., manteigas de karite, murmuru, abacate, etc.

Ao nutrir percebemos os fios menos volumosos, a redução do frizz e o cabelo um pouco mais "pesado". 

Por último, a etapa mais delicada do cronograma, a reconstrução. Agora é a vez de repor os aminoácidos que o fio perdeu com o uso de químicas (sejam elas tintas, alisamentos, permanentes, etc). Para isso vamos utilizar os cosméticos ricos em queratina, arginina, cisteína, creatina, colágeno e proteínas e aminoácidos em geral, como as da soja e do trigo. 

Ao reconstruir as madeixas podemos perceber que o cabelo está mais encorpado e resistente. Digo que é a etapa mais delicada porque se utilizada em excesso ou caso o cabelo não precise dela, os resultados podem ser contrários aos esperados e o excesso de queratina pode causar a fragilidade dos fios, portanto ao montar o seu cronograma tome cuidado de não exagerar na reconstrução.


Montando o seu cronograma

Primeiramente precisamos observar o que cada cabelo precisa (pense comigo: se você vai ao médico com a garganta inflamada e encontra outro paciente com uma inflamação em um tendão, o problema é o mesmo e, portanto deve ser tratado com um antiinflamatório, porém se você tiver uma inflamação de garganta e o coleguinha tiver um braço quebrado, os tratamentos aplicados devem ser diferentes. O mesmo é com o cabelo. Não se pode aplicar um único tratamento para diferentes "sintomas").

Cabelo opaco, sem vida e/ou ressecado é sinal de que ele precisa de Hidratação.
Cabelo poroso, com excesso de frizz é sinal de que ele precisa de Nutrição.
Cabelo frágil, elástico, quebradiço é um pedido por Reconstrução.

Tendo o "diagnóstico" do que nosso cabelo precisa, é hora de montar o nosso cronograma. Existem várias tabelas de cronogramas modelo por aí, mas o que dita qual devemos seguir é a necessidade do nosso cabelo. Um exemplo disso é que normalmente precisamos de mais hidratações e nutrições do que de reconstruções, porém cabelos elásticos devem passar BEM longe de qualquer tipo de hidratação

Agora que você sabe o que seu cabelo precisa, responda à pergunta: com que frequência eu lavo o meu cabelo? Eu costumo fazer as etapas do cronograma sempre depois do banho, a cada duas ou três lavagens (há quem faça toda lavagem, mas meu cabelo não gostou muito quando eu fazia assim). Parece redundante repetir que, novamente, a frequência será dosada de acordo com a necessidade de cada cabelo, mas é como diz o ditado: "cada cabeça, uma sentença" e, quem melhor pra dizer de quais cuidados nosso cabelo precisa do que ele mesmo?

Obs. Eu indico, se você for uma pessoa organizada, imprimir uma tabelinha com os dias em que você vai fazer as etapas do CC e qual etapa você fará em qual dia, assim você não se perderá sem saber qual etapa foi a última ou qual deverá ser a próxima. Mas não se prenda ao calendário, caso o cabelo peça pela repetição de uma etapa, vale adiar a próxima para repetir aquela que o cabelo está precisando mais.

Escolhendo os produtos


Montado o cronograma, é hora de escolher quais produtos vamos usar em cada etapa. Eu, particularmente, sigo a rotina Low Poo (que vou explicar direitinho em outro post aqui) então não uso cosméticos que tenham petrolatos (derivados do petróleo), parafina, óleo mineral e outros produtos que servem apenas como uma maquiagem para o fio. Então, na minha busca em lojas de cosméticos e farmácias sempre acabo me demorando para ler a composição de todos os produtos que quero levar e me certificar de que não possuem esses componentes em sua fórmula. 

Para quem não segue as rotinas No ou Low Poo, a busca é mais fácil, você deve observar os ingredientes de cada produto e, a partir deles, classificá-lo como Hidratação, Nutrição ou Reconstrução.

Com todos os produtos escolhidos, você já pode começar a seguir o seu cronograma. Boa sorte e se tiver qualquer pergunta/dúvida/questão sobre o cronograma, deixe aqui em baixo que eu respondo com o maior prazer.

Beijobeijo crianças :*



*Obs. Imagens encontradas a partir de buscas no Google Imagens




quarta-feira, 29 de julho de 2015

O retorno


Olá.

É com prazer que eu digo que, depois de dois longos meses, retomarei o projeto do blog. Foram dois meses complicados e cheios de imprevistos, mas agora a poeira abaixou e pretendo voltar com o projeto (e não abandonar depois de cinco ou seis posts como toda vez que tentei isso antes).

Ainda estou tendo um pequeno bloqueio quando preciso de assuntos para novos posts então, caso você tenha alguma sugestão do que gostaria de ler aqui, deixe nos comentários que, quem sabe a sua sugestão não vira um post?

Beijo da tia Milla e juízo, crianças :*

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Muffin de Chocolate - #MillaNaCozinha

Bom dia!
Vamos ao primeiro post (de fato) daqui. Ontem resolvi me aventurar na cozinha e, como ótima cozinheira que sou (só que não) não sabia a receita procurei na Internet. Como não tenho muito o costume de me aventurar no mundo mágico da cozinha, procurei uma receita fácil de fazer e que não desse muito trabalho (leia-se: peguei o primeiro link do tio Google e rezei pra dar certo). O resultado foi uma receita de muffin de chocolate (que no final parecia mais um petit gateau).

A receita

Você vai precisar de:

.1 peneira
.1/2 xícara de chocolate em pó
.1/2 xícara de açúcar
.1 xícara de farinha de trigo
.2 ovos
.4 colheres de sopa de manteiga
.150 ml de leite
.1 colher de sopa de fermento (em pó)

Passo a passo:

.Peneire o chocolate e a farinha e coloque os dois numa tigela separada
.Bata na batedeira o açúcar, a manteiga e as gemas dos ovos por três minutos
.Coloque aos poucos a mistura da farinha e do chocolate, alternando com o leite, enquanto bate a mistura
.Bata as claras em neve,  até que elas adquiram consistência
.Misture delicadamente o fermento na massa
.Se quiser,  coloque gotas de chocolate (ou chocolate granulado) na massa e misture com uma colher
.Coloque a clara em neve na massa e misture 
.Agora é só colocar nas forminhas e levar ao forno pré aquecido por aproximadamente 30 minutos (cheque com um palito se já está sequinho por dentro a partir dos 20 minutos)
.Retire do forno, espere esfriar e sirva!

Comentários sobre a receita:

O bolinho ficou uma delícia, apesar de eu ainda não ter me acertado bem com o tempo de fazer. As gotas de chocolate derreteram e ficaram como um recheio de chocolate cremoso. Na falta de uma batedeira eu usei o mixer com a ponta de bater clara em neve e acho que deu certo (nota: não usar uma tigela rasa e aberta pra bater as coisas. NUNCA usar uma tigela rasa e aberta pra bater nada). Ainda vou fazer alguns ajustes, mas no geral gostei da receita (e de descobrir onde ficam as coisas na minha cozinha!)

Se quiserem conferir o link original da receita, é só clicar aqui. :)

Por hoje é isso, se testarem a receita comentem aqui o que acharam e mandem sugestões de novos posts e/ou outras receitas que vocês gostariam de ver, fazer, experimentar.

Beijo da tia Milla e juízo, crianças :*

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Boas vindas

Oi!
Bom, essa é a milésima tentativa de começar a escrever um blog. E vamos à introdução. Eu sou a Milla, tenho 20 anos, sou de Belo Horizonte, Minas Gerais (a cidade mais linda, reunindo o interior e a metrópole num mesmo local). Sou estudante de Medicina Veterinária - a única profissão que vive de amor, pq né -. Apaixonada pelos bichos, um dia vou fazer a diferença no mundo. Viciada em séries, doces e pipoca. Minha vida é uma bagunça - e o meu quarto também. Entre sem bater e sinta-se à vontade.